5 passos simples para evitar erros na apuração e na transmissão das obrigações acessórias
5 passos simples para evitar erros na apuração e na transmissão das obrigações acessórias
postado por CONFIDENCE IT 29 de maio 2017

A apuração de impostos de uma empresa deve ser exata para que toda a atividade esteja em conformidade com a legislação tributária. Da mesma forma, a transmissão das obrigações acessórias deve obedecer aos preceitos legais. Nas duas situações, é muito comum haver erros que podem ocasionar multas e autuações fiscais, como a entrega de obrigações em atraso.

Para lidar com esta situação, apresentamos os principais erros e 5 passos simples para evitá-los! Acompanhe.

Erros na apuração de impostos

O gestor, ao controlar a prestação de serviços ou a comercialização de produtos, deve calcular os impostos relativos a cada operação.  O preenchimento das notas fiscais deve considerar as alíquotas corretas, principalmente no caso de ICMS (que pode ter alíquota interestadual).

Em alguns impostos, além de considerar o cálculo e tudo que ele envolve, é preciso fazer o cruzamento de dados, o que pode ocasionar grande confusão se não houver uma organização e uma gestão fiscal eficiente.

Erros no preenchimento e na transmissão das obrigações

Se a contabilidade e a gestão tributária não estiverem organizadas, a chance de erro no cruzamento de dados com as demais declarações da empresa é enorme. E não só ao cruzar as informações; pode ocorrer o preenchimento incorreto de dados.

Como se não bastasse os erros ao preencher, o gestor descuidado ou despreparado pode cometer falhas ao transmitir as obrigações ao Fisco. Atraso ou falta de entrega das obrigações acessórias é um dos principais motivos de autuações fiscais.

A complexa legislação brasileira e sua constante mutação demandam atenção e cuidado dos gestores, para que ocorra o cumprimento correto das obrigações fiscais. As alterações legais interferem nos regimes tributários, modificam alíquotas de impostos, introduzem novas obrigações acessórias, e tudo isso torna maior a possibilidade de erros.

Se o gestor não se planejar e controlar todas as informações fiscais, a possibilidade de falhar na entrega das obrigações fiscais cresce muito, e, com as falhas, vem o risco de autuações e de multas por atraso na entrega ou por erro de dados.

Para evitar todos esses erros, apresentamos 5 passos simples!

1. Faça um planejamento fiscal e tributário

Considerar encargos fiscais habituais do negócio, bem como a criação de reservas para emergências não é suficiente para garantir a saúde financeira do seu empreendimento. Ela depende de um planejamento fiscal e tributário, que faz a análise dos dados da empresa, a definição do regime de tributação mais adequado e a avaliação de isenções, créditos e incentivos fiscais. Com isso, há redução de custos e evita-se autuações fiscais.

2. Atente-se ao regime de tributação da empresa

Uma empresa optante do Lucro Presumido apresenta diferenças na apuração de impostos em relação à empresa optante do Lucro Real e do Simples Nacional. Cada regime de tributação possui isenções ou substituições tributárias próprias, e o erro ao considerá-lo pode ocasionar pagamentos indevidos e crimes de sonegação fiscal.

3. Mantenha seu cadastro tributário organizado

A emissão ou o recebimento de NF-e (xml) deve ser feita com uma fonte de consulta atualizada, para que os produtos ou serviços sejam cadastrados corretamente no sistema de gestão fiscal da empresa. O erro nesse ponto causa cobranças indevidas de impostos, o que pode gerar grande perda financeira e multas.

4. Mantenha o cadastro de clientes e fornecedores atualizado

Os arquivos enviados digitalmente para serem validados não podem conter desencontro de informações para a Receita. Por isso, todos os dados do cliente ou do fornecedor devem estar corretos (nome, CNPJ, Inscrição Estadual, endereço, código do município, etc.).

5. Utilize tecnologia de ponta

A tecnologia é nossa grande aliada para economizar tempo. A automação do negócio facilita a consecução das obrigações, e algumas funcionalidades, como a solução fiscal em nuvem, reúne todas as informações em um só lugar e se integra a todos os sistemas. É capaz de agregar os dados do SPED (Fiscal, Contábil, Bloco K), EFD, ECF, CIAP, DIRF, impostos retidos, obrigações fiscais, notas fiscais eletrônicas, dentre outros.

Essas soluções tecnológicas podem ser adotadas para entregar as obrigações fiscais em dia e sem erros. Os exemplos comuns são a inteligência fiscal (motor de cálculo que opera dentro das regras fiscais brasileiras) e os sistemas de ERP (integram os sistemas de todos os fiscos, aumentando o controle de informações e gerando relatórios detalhados sobre qualquer aspecto empresarial).

 

Siga nossas dicas e evite erros na apuração e na transmissão das obrigações acessórias!

 

 
   
 
Entre em contato com nossa equipe(011) 3522-3131ou preencha nosso formulário que entramos em contato. Clique aqui
 
 
 
shares